Baseado em um conceito de experiência ao invés de posse, a idéia de compartilhamento veio para ficar. Em tempos de Uber, Netflix e Airbnb surgem opções de moradia inéditas para atender a novos estilos de vida, cada vez mais conectadas e buscando formas mais simples e eficientes de facilitar o dia a dia.

 

E obviamente, com o tempo tudo muda, tudo ganha uma nova cara e no estilo de morar não está sendo diferente, também já está havendo uma renovação.

 

Muito popular na Europa, na América do Norte e agora está ganhando força no Brasil também, o estilo de vida em comunidade, chamado cohousing, onde pessoas possuem casas e dividem ambientes como áreas de lazer e serviço.

 

Esse estilo de vida teve início em 1970 na Dinamarca e valoriza a convivência entre vizinhos e o compartilhamento de espaços e até mesmo recursos.

 

Nessa mesma linha, considerando ainda mais pela socialização, temos o Coliving. Uma tendência que incentiva a colaboração, a integração e a sustentabilidade, possuindo uma forma mais abrangente de dividir espaços. Neste caso existe uma única casa, com vários quartos particulares e as áreas são compartilhadas.

 

Essas novas tendências de moradia se mostram cada vez mais crescentes, sempre enfatizando o compartilhar e dentre destas soluções inovadoras estão o coworking, o espaço pet, além de bicicletas, ferramentas, entre outros. “Estamos vivendo a economia do compartilhamento, recursos que costumávamos consumir de forma individual, passaram a ser oferecidos para um grupo. Quase como um lifestyle colaborativo, ambientes de trabalho e até meios de transporte podem ser compartilhados e nessa mudança, a casa não ficou de fora” afirma Julia Curan, consultora de planejamento do portal WGSN.

 

O Coworking é uma nova forma de pensar no ambiente de trabalho. Com a evolução do empreendedorismo, criou-se um espaço conveniente para os praticantes de home office, profissionais liberais e freelancing. Um espaço criado para que se possa desenvolver projetos sem as distrações de espaços públicos.

 

Para os que buscam segurança, conforto e comodidade para todos os membros da família, inclusive para os animais de estimação, esta é uma excelente opção, pois o espaço pet além te trazer facilidades é dedicado especialmente aos bichinhos e seus donos.

 

De modo geral, existem diversas vantagens em se ter um espaço pet, pois ele promove o bem estar dos animais sem que tenha que percorrer longas distâncias de carro, além de se tornar mais sociável e acostumado com outras pessoas e animais, não sendo necessário ficar reclusos, ocasionando em latidas e outros problemas. O espaço pet também estimula a interação entre os moradores, pois serve como ponto de encontro entre pessoas que têm o mesmo prazer.

 

Reclamar de solidão num espaço de coliving é muito difícil. Novas amizades podem ser formadas. As pessoas ficarão mais próximas e isso impactará positivamente no clima do condomínio, que pode ser ainda mais amigável. O contato entre todos colabora com a criação de uma rede de amizade e solidariedade e podem até se ajudar em momentos emergenciais.

 

A experiência de compartilhar também se estende ao dividir bens, um exemplo disso pode ser com ferramentas e bicicletas, que podem ser usados por quem tem interesse e necessidade. Essa é uma realidade que só tem a se fortalecer.


Os estilos de vida estão redefinindo a maneira de morar e este fato já não pode ser visto como uma forma alternativa. As novas propostas de morar encontram grande receptividade onde as pessoas buscam por conexões e proximidade.

 

O importante disso tudo é entender o momento de transformação que vivemos atualmente. É preciso criar soluções novas para necessidades antigas. Morar bem, ter qualidade de vida e criar bons relacionamentos interpessoais são requisitos básicos. Participar do conceito de economia compartilhada é experimentar tudo isso, de forma simples e moderna.